Política Editorial

O lançamento da Revista DAE em 1936, então intitulada Boletim da RAE, constituiu um acontecimento pioneiro característico de uma época muito significativa do desenvolvimento da engenharia sanitária no Brasil. Nesse período, a Repartição de Águas e Esgotos de São Paulo assumiu o papel de uma verdadeira escola, de onde saíram grandes autoridades em sistemas de abastecimento e tratamento de águas e resíduos líquidos. O Boletim da RAE prosseguiu até 1952, com interrupções em 1944 e 1945. Não circulou em 1953. Passou a denominar-se Boletim do Departamento de Águas e Esgotos (DAE) em 1954 e Revista do Departamento de Águas e Esgotos de 1955 a 1959. De 1959 a 1971, manteve o nome de Revista D.A.E. e, desde 1972, circula como Revista DAE. Houve, ainda, uma interrupção de 1994 a 2007, sendo relançada em 2007 com periodicidade trimestral e contínua até o momento.
O público-alvo da Revista DAE é composto por profissionais das empresas de saneamento básico, docentes e alunos de pós-graduação, pesquisadores e gestores de instituições de ensino superior e de pesquisa, gestores de associações científicas e também por profissionais, dirigentes e técnicos de órgãos governamentais relacionados a esta área.

A versão online da Revista DAE oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio da gratuidade e democratização do acesso público ao conhecimento científico, sendo permitido ler, baixar, distribuir e imprimir seu conteúdo desde que a fonte seja citada. A versão impressa da Revista DAE é distribuída gratuitamente para organizações não governamentais que atuam na área de meio ambiente, para as empresas de saneamento públicas e privadas, para as universidades e bibliotecas que mantêm faculdades de engenharia, biologia e meio ambiente, para comitês de bacias, fornecedores de insumos voltados ao setor, representantes de classe, secretarias municipais e estaduais de saneamento e meio ambiente, sindicatos e representantes da vigilância sanitária, entre outros.
Serão admitidos para avaliação manuscritos originais resultantes de pesquisas científicas que abordem temas relevantes e de interesse da área de engenharia sanitária e ambiental. O conteúdo deve ser inédito e não ser submetido simultaneamente a outros periódicos ou órgãos editoriais. Não serão aceitos relatórios ou traduções de artigos já publicados, bem como artigos que impliquem em promoção comercial de determinada marca, produto ou empresa. Artigos publicados em anais de Congressos serão admitidos em sua versão expandida. As submissões podem ser feitas nos idiomas português e inglês.
Para submissão, os autores devem enviar seus trabalhos e acompanhar cada passo da avaliação exclusivamente no endereço www.revistadae.com.br.

A Revista DAE adota o sistema de avaliação duplo cego por pares, onde as identidades dos autores e avaliadores são preservadas. Os manuscritos submetidos serão inicialmente verificados quanto à adequação ao escopo, observância do atendimento às normas editoriais e a similaridade do conteúdo (plágio) utilizando o sistema iThenticate. Os manuscritos sem ou com baixa porcentagem de similaridade serão encaminhados para avaliação. Manuscritos com alto teor de similaridade serão devolvidos ao autor para correção ou rejeitados em definitivo. Os manuscritos aceitos para avaliação serão encaminhados para no mínimo dois pareceristas ad hoc que avaliarão o manuscrito quanto ao seu conteúdo científico, encaminhando o resultado ao editor chefe ou editor associado que, baseado nos relatórios, decidirá pela publicação, recusa ou solicitação de correções ao autor. Os editores e avaliadores se valem do direito de declinar a avaliação dos artigos que não estejam contemplados no escopo da revista, não possuam um tema de pesquisa clara e inédita ou um método adequado para responder aos tópicos apresentados. No caso em que uma nova versão é solicitada após a primeira avaliação, o editor chefe ou editor associado poderá decidir pela aceitação imediata ou encaminhamento para um novo parecer. Nos casos em que o autor não concordar com a decisão recebida, é permitida a apelação, expondo seus argumentos por meio de e-mail ao editor-chefe, que poderá reconsiderar a decisão ou ratificá-la.

O corpo de pareceristas da revista é composto por pesquisadores oriundos de diversas instituições de ensino e pesquisa, sendo atualmente composto por nn% de pareceristas internacionais. Entre os pareceristas brasileiros, cerca de 46% são afiliados a instituições do Estado de São Paulo e os demais oriundos dos outros estados.

A Revista DAE segue o Code of Conduct and Best Practice Guidelines for Journal Editors do Committee on Publication Ethics COPE (http://publicationethics.org/), tendo firmado a Declaração de São Francisco sobre a Avaliação da Investigação – DORA (https://sfdora.org). Se um tipo de má conduta for identificada após a publicação do artigo, a Revista DAE publicará uma retratação informando a infração cometida na mesma edição online em que o artigo foi divulgado e na próxima edição impressa. Todos os artigos publicados são de inteira responsabilidade dos autores, não refletindo obrigatoriamente a opinião dos Editores e dos membros do Conselho Editorial.

O tempo estimado para o processo editorial da Revista DAE é, em média, e a partir da data de submissão, de 210 dias até a decisão final, e de 360 dias até a publicação. Em 2019 a taxa de rejeição dos manuscritos foi de 75%.
A Revista DAE utiliza o sistema PKP PN para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. É permitido aos autores o auto arquivamento de seus artigos, logo após a publicação, em repositórios institucionais, temáticos ou em páginas pessoais na web.
Para maximizar a disseminação e uso do material publicado, a Revista DAE adota a licença Creative Commons Atribuição CC BY. Assim, os direitos autorais pertencerão aos autores, sendo permitido que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que atribuído o devido crédito.

A Revista DAE não cobra taxas de processamento nem de submissão de artigos, e oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento. Assim, é permitido ler, baixar, copiar, distribuir, imprimir e citar os textos completos dos artigos.



< voltar